Saúde

28/05/2021 06:15 Joanice de Deus/Diário de Cuiabá

Aceleração da Covid exige novas medidas restritivas, diz deputado

No Estado, a taxa de ocupação das unidades hospitalares pactuadas pelo SUS se aproximada dos 90%

Com nova aceleração na epidemia do novo coronavírus e à beira de novo colapso no sistema de Súde, Mato Grosso precisa adotar medidas mais restritivas para diminuir o risco de contaminação.

Para isso, é necessário revogar decretos e portarias que flexibilizam o isolamento social ou mesmo atividades econômicas. A avaliação é do médico sanitarista e deputado estadual, Ludio Cabral (PT).

No Estado, a taxa de ocupação das unidades hospitalares pactuadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) se aproximada dos 90%. “O Governo (do Estado) se apressou em relaxar as poucas e limitadas medidas restritivas que tínhamos em Mato Grosso nas atividades econômicas e nos serviços públicos”, afirmou.

Entre essas revogações, Cabral cita o retorno dos servidores públicos aos seus postos de trabalho e a retomada das atividades presenciais por parte dos trabalhadores da Educação da rede pública estadual.

Para o deputado, a flexibilização ou relaxamento propiciou a nova subida dos casos da Covid-19 ou o recrudescimento da pandemia.

Tanto que, há duas semanas, a taxa de transmissão do vírus está acima de 1, sendo que no último dia 25 de maio, estava em 1,14, o que significa que cada 100 contaminados infectam outras 114 pessoas.

“Tem que rever todos esses decretos. Já apresentei na Assembleia Legislativa projeto para revogar todas as medidas que o Estado adotou de relaxamento de medidas restritivas do serviço público”, disse.

O deputado defendeuainda retomada de diálogo com os setores econômicos. “Por que novas medidas restritivas precisam ser tomadas, mas precisam alcançar também a indústria, que nunca foi alcançada?”, disse, por meio de suas redes sociais.

“E dialogar com o comércio ao lado de medidas econômicas para poder proteger as empresas e os empregos, as famílias e a população vulnerável”, acrescentou, lembrando que vacinação contra o vírus acontece de forma lenta no país, consequentemente, em Mato Grosso.

NÚMEROS DA PANDEMIA - A Secretaria de Saúde notificou, até a tarde desta quarta-feira, (26), 399.792 casos confirmados da doença em Mato Grosso.

Dentre os dez municípios com maior número de casos estão: Cuiabá (84.597), Rondonópolis (28.826), Várzea Grande (27.846), Sinop (20.314), Sorriso (13.639), Tangará da Serra (13.442), Lucas do Rio Verde (12.256), Primavera do Leste (10.521), Cáceres (8.511) e Alta Floresta (7.651).

Dos 399.792 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 11.135 pessoas estão em isolamento domiciliar e 376.166 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 469 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
[email protected]

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo