Saúde

28/04/2021 17:10

Farmacêutica alerta para o uso indiscriminado de medicamentos

Nem sempre é bom resolver sozinho dores ou incômodos no corpo. A compra de medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios e antitérmicos sem prescrição médica pode aliviar momentaneamente os sintomas, porém causa vários danos à saúde.

 

A automedicação já é um hábito no Brasil, há muitos anos. Dados recentes do Conselho Federal de Farmácia indicam que 77% dos brasileiros fazem o uso de medicamentos sem qualquer orientação médica. Principalmente, neste momento de pandemia, a automedicação pode comprometer a saúde, tornando a pessoa ainda mais vulnerável aos riscos.

 

Entre os riscos da automedicação, a intoxicação é a mais perigosa. De acordo com o Sistema Nacional de Informações Tóxico Farmacológicas (Sinitox), cerca de 30 mil casos de internação são registrados por ano no Brasil por decorrência de intoxicação. Os analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios estão entre os que mais intoxicam.

 

A vice-presidente do CRF-MT, Elizangela Vicuña ressalta que a prática da automedicação tem preocupado as autoridades sanitárias em todo o mundo e que ainda é preciso avançar na conscientização da população quanto aos reais riscos do consumo de medicamentos fora das indicações e posologias aprovadas no registro.

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) calcula que 18% das mortes por envenenamento no Brasil podem ser atribuídas à automedicação, e 23% dos casos de intoxicação infantil estão ligados à ingestão acidental de medicamentos armazenados em casa de forma incorreta.

 

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), entende-se que há uso racional de medicamentos quando pacientes recebem medicamentos para suas condições clínicas em doses adequadas às suas necessidades individuais, por um período adequado e ao menor custo para si e para a comunidade.

 

A OMS estima que mais de 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou vendidos de forma inadequada, e, ainda, que metade de todos os pacientes não os utiliza corretamente. O uso irracional ou inadequado de medicamentos é um dos maiores problemas de saúde em nível mundial.  Estima-se que os eventos adversos relacionados a esses medicamentos custam cerca de 42 bilhões de dólares todos os anos.

 

Confira as orientações sobre automedicação, armazenamento e descarte correto de medicamentos:

 

O uso racional de medicamentos

No dia cinco de maio é comemorado o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamento. A data foi criada com o objetivo de alertar a população quanto aos riscos à saúde, causados pelo uso indiscriminado de medicamentos e automedicação que são considerados altos índices de intoxicação medicamentosa.

 

Ocorre quando o paciente recebe o medicamento apropriado às suas necessidades clínicas, na dose e posologia corretas, por um período de tempo adequado e ao menor custo para si e para a comunidade. A Secretaria Municipal da Saúde, por meio da Assistência Farmacêutica, realiza um conjunto de ações para promover a utilização racional dos medicamentos.

 

O Conselho Regional de Farmácia do Estado de Mato Grosso tem como missão a valorização do profissional farmacêutico, visando a defesa da sociedade, portanto neste importante dia para o sistema de saúde no Brasil reforçamos a principal mensagem para este dia ‘ANTES DE USAR QUALQUER MEDICAMENTO CONSULTE UM MÉDICO OU FARMACÊUTICO’.

 

 Automedicação

Expõem as pessoas a diversos riscos e podem causar graves problemas, como intoxicações, efeitos adversos, até mesmo reações alérgicas fatais. Pode mascarar sintomas e sinais de uma doença e atrasar seu diagnóstico, bem como anular ou potencializar o efeito de outro medicamento por combinação incorreta ou por utilização de mesma substância ativa já utilizada sob um nome diferente alterando o resultado esperado dos tratamentos.

 

 Descarte correto

Medicamentos nunca devem ser jogados na pia, lixo ou esgoto. Eles podem contaminar o meio ambiente. Junte os produtos vencidos ou que não serão utilizados e leve a um ponto de coleta.

 

 Local para armazenamento

Os medicamentos devem ser guardados em local separado, longe do calor e ao abrigo da luz e da umidade, seguindo sempre as informações indicadas na embalagem original. Eles devem estar em local seguro, fora do alcance de crianças e animais. É preciso lembrar que alguns medicamentos exigem temperaturas específicas, como aqueles que precisam ficar na geladeira. Neste caso, em caso de dúvida, ler a bula ou procurar profissionais de saúde pode ajudar. É importante manter os medicamentos na embalagem original: ela informa o nome do medicamento, o lote do produto e a data de validade.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
[email protected]

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo