Política

25/10/2021 08:01 Gazeta Digital

Contratos temporários da prefeitura se aproximam de votos que elegeram Emanuel

Levantamento do Ministério Público de Mato Grosso (MPMT) aponta que, até setembro deste ano, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Cuiabá contava com 5.368 contratos temporários. O número representa 88% do montante de votos a mais recebidos pelo prefeito afastado Emanuel Pinheiro (MDB) contra o então candidato Abílio Júnior (Podemos) na última eleição.

Na corrida pelo Palácio Alecanstro, Emanuel obteve 135.871 votos (51,15%) enquanto Abílio teve 129.777 (48,85%). A diferença de votos entre os dois foi de 6.094. O número de contratos temporários, na casa dos 5.368, representa 88,09% da diferença que reelegeu o emedebista.

O balanço do número de pessoas contratadas de forma temporária foi feito pelo Ministério Público após delação do ex-secretário de Saúde de Cuiabá, o médico Huark Douglas. A delação do ex-gestor rendeu não só o afastamento do prefeito, como também a prisão temporário do chefe de gabinete de Emanuel, o advogado Antônio Monreal Neto.

Os dados sobre o número de servidores temporários constam na ação civil pública do Ministério Público que pede o afastamento de Emanuel por 6 meses de suas funções públicas. O requerimento foi feito em meio ao cenário da Operação Capistrum, deflagrada pelo Núcleo de Ações de Competências Originárias (Naco), deflagrada na última terça-feira (19).

No documento, não há comparação entre o número de contratos temporários e os votos recebidos pelo prefeito. Contudo, segundo delação firmada pelo ex-secretários, as indicações de quem seria contratado pela pasta tinham cunho político. Huark destacou, inclusive, que as vagas eram preenchidas satisfazendo interesse pessoal do prefeito junto a vereadores, como "canhão político".

Em números absolutos, caso os contratos temporários significassem votos diretos, Emanuel ainda venceria o pleito. Contudo, a margem de diferença seria mais tímida. A comparação apresentada pelo Ministério Público leva em consideração o número de servidores contratados temporariamente na Saúde da Capital e o número total de servidores do Judiciário, mostrando uma diferença "absurda".

Na SMS, segundo dados do Portal Transparência até o dia 10 de setembro, há 6.696 servidores, dos quais 3.565 (53,23%) são temporários. Contudo, há também 1.827 servidores da Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP), sendo que 1.803 são temporários (98,68%). Ao todo, há 5.368 temporários na Saúde.

"Apenas para se ter uma noça6 o do absurdo de tais nu" meros, o PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE MATO GROSSO, conta atualmente com 4.579 servidores ativos, em todo o seu quadro e servindo a todas as 79 comarcas", destacou o Ministério Público.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
[email protected]

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo