Regional

20/06/2020 06:52 Márcia Oliveira | Assessoria de Imprensa da DPMT

Aposentada diagnosticada com Covid-19 morre um dia após ser transferida para UTI em Sinop

A Defensoria Pública de Mato Grosso tomou conhecimento da urgência do caso na quarta-feira (17/6), quando conseguiu liminar para que a idosa recebesse atendimento especializado

A aposentada Albertina de Souza Claro, 68 anos, diagnosticada com Covid-19 na segunda-feira (15/6), faleceu na noite de quinta-feira (18/6), um dia após ter sido transferida em estado grave do Hospital São Lucas, em Lucas do Rio Verde, para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Sinop. A transferência foi feita um dia após a Defensoria Pública de Mato Grosso conseguir liminar na Justiça.

“Infelizmente tomamos conhecimento no início da tarde desta sexta-feira que a senhora Albertina faleceu. A família e a Defensoria Pública se empenharam muito para que ela tivesse o atendimento intensivista, mas o desfecho foi triste. Essa é a nossa luta, um dia ficamos felizes pela vitória de conseguir superar uma etapa e noutro, muitas vezes, ficamos tristes. Temos que estar com o psicológico bem forte, bem preparado, nem todo desfecho é feliz”, disse o defensor público que atua em Lucas do Rio Verde e atendeu o caso, Fábio Barbosa.

Abalada, a família de Albertina informa que tudo foi muito rápido e confuso. A idosa morava com o neto de 28 anos e desde a semana passada apresentou sintomas virais e foi levada para um Posto de Saúde da cidade. “Ela já foi para o posto se sentindo muito mal, com falta de ar, dores e lá, não fizeram exames para ver o pulmão dela e a mandaram para casa, dizendo que era pneumonia. Penso que ela tinha que ter sido internada naquele dia”, afirma a nora, Tatiane Reginald Claro.

A visita ao posto foi no dia 11 ou 12, a família não lembra a data precisa, mas sabe que no final de semana Albertina piorou. “No sábado e no domingo ela só queria ficar deitada e já estava sem vontade de comer. Levamos ela para o Hospital na segunda-feira (15/6),  onde não tinha UTI, pois faltam médicos intensivistas, e lá, ficamos sabendo que o pulmão dela já tinha superado em inflamação o quadro de uma pneumonia”, lembra Tatiane.

No dia seguinte a nora conta que ficaram sem informações, apesar de irem várias vezes no hospital ao longo do dia. Na noite de terça-feira (16/6) a família foi informada que a situação dela tinha piorado e que ela precisaria de uma UTI. “Ela passou muito mal, foi entubada e fomos atrás de uma UTI, conseguimos a decisão com o apoio da Defensoria e ela foi para Sinop. Lá, o Hospital Regional nos ligou 00h de quinta-feira (18/6) e disse que tínhamos que ir 7h desta sexta-feira, conversar com o médico”.

Tatiana informa que no Hospital Regional tomaram conhecimento que Albertina tinha falecido às 23h de quinta-feira. “Tudo foi muito rápido e vivemos uma situação que nunca vimos. Ela não terá um velório, não pudemos ver ela antes, nos despedir. Acreditávamos que ela conseguiria superar a doença. Vimos muitas pessoas na idade dela vencer, mesmo após passar por uma UTI. A família está muito abalada”. 

O filho de Albertina, Reginaldo Claro e Tatiane apresentaram sintomas leves da Covid-19 e passaram a tomar hidroxicloroquina e azitromicina, sob recomendação médica, após o diagnóstico de Albertina ser confirmado.


Banner whats nativa news

Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo