Regional

10/10/2019 10:44 Jacques Gosch

SINOP: Vereadores votam contra lei para proteger mulheres e são tachados como machistas

Oito vereadores de Sinop (a 503 km ao Norte de Cuiabá) estão sendo acusados de machismo após terem votado contra o projeto de lei de autoria da vereadora Professora Branca (PL), que obriga bares, casas noturnas e restaurantes a adotar medidas para auxiliar as mulheres que se sintam em situação de risco nas dependências dos estabelecimentos. A matéria  acabou arquivada e os parlamentares estão sofrendo críticas nas redes sociais.

A lista dos vereadores tachados de machistas inclui o presidente da Câmara Remídio Kurtz (PL), além de Leonardo Visera (PP), Adenilson Rocha (PSDB), Blly Dal Bosco (PL), Luciano Chitolina (PSDB), Ícaro Severo (PSDB), Joacir Testa (PDT) e Dilmair Calegaro (PSDB). Um meme com as fotos dos parlamentes já circula no Whatsapp.

Pelo projeto de lei, o auxilio a mulher será prestado pelo estabelecimento mediante a oferta de acompanhamento ao carro, outro meio de transporte como táxi ou Uber ou até mesmo comunicação à polícia. Avisos deveriam ser fixados nos banheiros femininos ou em qualquer ambiente do local, informando a disponibilidade do estabelecimento para o auxílio para quem se sinta em situação de risco.

 Além disso, os estabelecimentos deveriam capacitar os funcionários para o efetivo cumprimento da legislação. Em caso de descumprimento, o texto previa advertência e multa em caso de reincidência, cujo valor seria destinado a entidades ou órgãos que atuam na proteção das mulheres vítimas de violência em Sinop.

Diversos estabelecimentos pelo Brasil oferecem o auxílio sem necessidade de lei. Um bar chamado Red Show, localizado em Santo André (SP), foi pioneiro nessa prática criando um “drink falso" que funciona como pedido de socorro.  

O cartaz com aviso do drink foi colado no banheiro feminino do estabelecimento. Caso alguma mulher esteja se sentindo em perigo, ela pode pedir o drink "La Penha". Assim, a pessoa que estiver trabalhando no bar irá acompanhá-la até um táxi, carro ou até mesmo chamar a polícia se for necessário.

"Ei, moça. Você está em um encontro que não está indo muito bem? Você está num encontro e a pessoa não é quem ela dizia ser? Você não está se sentindo segura? Estamos aqui para ajudar", diz o cartaz. "Não se cale. Não tenha medo. Você não está sozinha, estamos aqui para te ajudar."

Outros estabelecimentos já estão fazendo o mesmo, colando cartazes em que especificam o nome do drink que a mulher deverá pedir caso precise de ajuda.  A rede estadunidense Hooters criou o “Angel Shot”. Caso seja necessário chamar a polícia, as mulheres pedem o drink com limão.

Até o momento, apenas dois vereadores se manifestaram nas redes sociais sobre o voto contrário ao projeto  da Professora Branca. Adenilson Rocha, que é coordenador do MBL em Sinop, sem citar nomes, diz que quem o chama de machista  quer “dividir a população entre A e B",  disse que Hitler dividiu alemães e judeus e acusa seus detratores de “hipócritas”. Já Ícaro Severo alega que não é machista e sustenta ter votado favorável a diversos projetos de autoria da colega vereadora.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo