Regional

13/04/2019 11:57

Prefeita de Sinop diz que é grave situação de superlotação na UPA após notificar Estado

A prefeita de Sinop, Rosana Martinelli (PR), disse, há pouco, em entrevista coletiva, que é grave a situação de superlotação de pacientes que estão na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e que precisam ser transferidos para o Hospital Regional. De acordo com a gestora, ao menos 10 pessoas estão em estado extremamente grave, algumas infartadas, precisado passar por procedimento cirúrgico e uma criança com meningite, que precisa de tratamento intensivo.

“Queremos que resolva o mais rápido possível o atendimento. Nós estamos com muitos pacientes internados. Precisam de atendimento especializado. Toda equipe está fazendo o máximo, mas sabemos que eles precisam de cirurgias. Não podemos mais. Estamos pedindo essa solução, mas está demorando muito. Procuramos ajuda com o Ministério Público para que resolva o mais rápido possível. As pessoas não escolhem quando ficam doentes. Precisamos atender os pacientes de Sinop, mas a UPA é limitada. É um local de transição e não há condições de fazer cirurgias”, afirmou a prefeita.

Martinelli reconheceu que o governo de Mauro Mendes (DEM) está há pouco tempo administrado o Estado, mas o problema de superlotação na UPA já é antigo. “Nós estamos há dois anos com essa superlotação na UPA. A população não merece o que está acontecendo. Essa não é a primeira vez que notificamos o Estado. Como gestor público, sabemos das nossas responsabilidades. Precisamos da ajuda do Estado que tem essa obrigatoriedade da média e alta complexibilidade para que contrate médicos, enfermeiros que estão faltando no hospital regional para que a população de Sinop e região sejam atendidas. Nós somos polo regional, mas precisamos de uma solução mais rápida, que volte a atender em sua normalidade”.

Conforme Só Notícias já informou, a secretaria municipal de Saúde notificou, ontem, a secretaria estadual de Saúde e o Hospital Regional para que adotem medidas imediatas no sentido de transferir os pacientes já regulados e que continuam internados na UPA. De acordo com o município, a média é de 50 pacientes internados diariamente com quadros considerados extremamente graves.

Em um trecho da notificação o secretário municipal de Saúde, Gerson Danzer apontou que “a UPA vem enfrentando sérias dificuldades na liberação de pacientes considerados graves e que necessitam de procedimentos de alta complexidade. É uma unidade de estabilização, ou seja, a gente recebe o paciente e regulamos para o hospital de referência que seria o regional. Hoje temos crianças internadas de outros município e pacientes entubados, respirando mecanicamente e aguardando vagas. Sinop atende todo o polo regional de Saúde, que abrange mais de 30 municípios. Temos um caso de uma criança indígena com suspeita de meningite aguardando vaga de UTI, entre outros casos”.

A UPA é atualmente administrada pela Organização Social de Saúde Instituto Vida, que também oficiou o município quanto a alta demanda de casos graves internados na unidade. Ainda segundo o secretário, mensalmente o município investe R$ 1,3 milhão na UPA. Deste valor, R$ 227,5 mil são do Ministério da Saúde e R$ 115,7 mil da Secretaria de Estado e de Saúde e o restante é custeado pela prefeitura de Sinop.

“Queremos resolver o problema tanto que sempre disponibilizamos medicamentos, suporte com ambulâncias, até médicos em casos de urgência e emergência, mas chegamos no limite”, finalizou Danzer, por meio da assessoria, anteriormente.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo