Polícia

23/07/2016 08:39

Briga entre irmãs levaram um empresário de MT a ser acusado de estuprar uma criança

Uma briga familiar envolvendo conflitos de irmãs e questões financeiras levou um empresário de Mato Grosso a ser acusado de estuprar uma criança de sete anos de idade. Após conviver com a falsa acusação meramente motivada por vingança pelo período de três anos, ele foi absolvido pela Justiça diante da total improcedência da denúncia, atestado até mesmo pela criança que prestou depoimento na audiência de instrução e julgamento. 


O caso aconteceu em Cuiabá e envolve o empresário Danilo (nome fictício). No dia 21 de novembro de 2012, a mãe da criança T.C.L., registrou um boletim de ocorrência informando que o tio da criança, Danilo, abusou sexualmente da menor L.L.A. De acordo com o Boletim de Ocorrência, a criança dormia em um colchão estendido no chão todas as vezes que ficava na casa de sua tia, momento em que seu tio se aproveitava da situação e passava as mãos no corpo da criança. 


A mãe da criança ainda narrou que, no dia 20 de outubro de 2012, percebeu que o empresário estava na piscina do edifício e colocou a menor L.L.A no colo e se aproveitava para passar as mãos nas partes íntimas da criança. 
A denúncia oferecida pela promotora Lindinalva Rodrigues no dia 2 de julho de 2013 se baseou no crime de estupro de vulnerável, pois naquele momento a criança teria confirmado perante os avós maternos que o tio passava as mãos em seu corpo e sua genitália. Ao ser atendida por uma equipe multidisciplinar, a criança disse: “eu não gosto dele. Ele pegava em mim. Eu falava para ele parar, mas não adiantava, ele não parava”. 


No entanto, em fevereiro de 2014, a mãe da criança T.C.L, compareceu novamente a Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente para registrar um Boletim de Ocorrência e dizer que orientou a filha a mentir no depoimento porque nunca teve um bom relacionamento com a irmã, casada com o empresário Danilo, e a falsa acusação foi a maneira encontrada para atingi-la. 


Para a surpresa da Polícia Civil, a mãe disse que o tio sempre gostou de sua filha e a presenteava em datas especiais e decidiu retirar todas as acusações. Porém, em uma nova avaliação psicológica a criança manteve a versão de ter sido violentada sexualmente, o que gerou surpresa nos pais que disseram ser impossível, pois não era verdade. 


Foi então que a mãe da criança começou a chorar compulsivamente ao afirmar que a falsa denúncia gerou um clima muito ruim na família. Além disso, o empresário Danilo devia uma quantia muito alta de dinheiro aos seus pais e, se fosse preso, não teria como pagar a dívida. Como não sabiam que a denúncia poderia ser retirada, acreditaram que a ida à delegacia desmentindo a versão inicial colocaria fim ao procedimento de investigação. 


Na avaliação psicológica, a menor L.L.A apenas se limitou a dizer: “ele não mexe mais comigo”, quando questionada se seu tio ainda lhe acariciava. Passados cinco meses, uma nova avaliação psicológica foi feita na criança e constatou-se que não havia nenhum trauma de abuso sexual na criança. 


Para a surpresa dos profissionais, ao ser questionada de alguma carícia que sofreu a menor disse: “Minha tia brigou com a minha mãe (...) eu falei que o tio passou a mão em mim, mas não acontece (..) eu falei porque minha mãe pediu”. 

Fonte: Diario de Cuiaba


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados a Gund e Caldas LTDA ME - Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo