Economia

19/02/2021 06:25 Diario de Cuiabá

COMIDA MAIS CARA EM CUIABÁ: Em alta cinco meses seguidos, cesta básica registra novo recorde

Conjunto de alimentos teve valor médio de R$ 611,3 em janeiro deste ano, ficando R$ 104,4 mais cara

Os preços dos alimentos não param de subir em Cuiabá. A cesta básica quebrou novamente seu próprio recorde e após cinco meses seguidos de altas, registrou valor médio de R$ 611,3.

As cifras apuradas em janeiro desse ano revelam que na comparação com o mesmo mês do ano passado há incremento direto de R$ 104,4, já que naquele momento o preço médio desse conjunto de alimentos estava cotado a R$ 506,9. Considerando o novo salário mínimo de R$ 1.100, o cuiabano está despendendo 56% do piso apenas para aquisição da cesta básica.

Os dados são do Boletim de Conjuntura Econômica do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Nessa variação anual, destacam-se altas de preços como a do óleo que dobrou de valor no varejo, saindo em média de R$ 4 para R$ 8, bem como a batata e o arroz, ambos 65% mais caros nesse intervalo.

Dos 13 itens que compõe esse conjunto de alimentos, 12 tiveram variação positiva e apenas um, o café em pó, leve redução. Integram a cesta básica: carne, leite, feijão, arroz, farinha, batata, tomate, pão francês, café em pó, banana, açúcar, óleo e manteiga.

A cesta cuiabana é a segunda mais cara do Centro-Oeste, atrás da de Brasília em R$ 614,31. Campo Grande e Goiânia registraram valores de R$ 578,62 e de R$ 574,76, respectivamente. No ranking nacional, a cesta cuiabana é a 7ª mais cara, atrás de São Paulo (R$ 654,15), Florianópolis (R$ 651,37), Rio de Janeiro (R$ 644,00), Porto Alegre (R$ 626,25), Vitória (R$ 624,62) e Brasília (R$ 614,31).

Como o Imea segue a mesma metodologia do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que elabora a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, é possível fazer esse comparativo dentro do ranking nacional.

Em relação ao preço médio da cesta básica em dezembro, em R$ 602,4, há alta de 1,5% na passagem para janeiro.

Dos 13 itens, oito tiveram alta – destaque para o tomate, 20% - e cinco com redução de valores, sendo o mais significativo o da banana, -9,6%.

DIEESE - Os preços do conjunto de alimentos básicos, necessários para as refeições de uma pessoa adulta (conforme Decreto-lei 399/1938) durante um mês, aumentaram em 13 capitais pesquisadas.

As maiores altas foram registradas em Florianópolis (5,82%), Belo Horizonte (4,17%) e Vitória (4,05%).

O valor da cesta apresentou redução em quatro capitais do Nordeste: Natal (-0,94%), João Pessoa (-0,70%), Aracaju (-0,51%) e Fortaleza (-0,37%).


Banner whats nativa news

Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo