Destaques

28/07/2020 05:22 Só Notícias/Herbert de Souza

Alta Floresta: Tribunal nega pedido do MP para reestabelecer prisão do acusado de matar comerciante João Mayer

Os desembargadores da Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negaram o pedido do Ministério Público Estadual (MPE) para reestabelecer a prisão preventiva do homem de 44 anos acusado de matar João Mayer, 52, nas proximidades da MT-208, em Alta Floresta (297 quilômetros de Sinop). A vítima, conforme a perícia, foi atingida por um “instrumento rígido na cabeça” e levou oito facadas, em setembro de 2018.

Em maio deste ano, o acusado, que estava preso na cadeia pública de Alta Floresta, foi diagnosticado com a covid-19. Por este motivo, a Justiça local decidiu substituir a prisão preventiva por medidas cautelares, como monitoramento eletrônico por tornozeleira, por exemplo.

O Ministério Público, no entanto, recorreu ao Tribunal de Justiça alegando que a secretaria de Saúde do município informou, em junho, que o réu já estava se recuperando da doença e na iminência de receber alta. “Com isso, o motivo que ensejou a concessão de prisão domiciliar não mais subsistirá e, de outro lado, estão presentes os pressupostos autorizadores da medida extrema, razão pela qual a custódia cautelar deve ser novamente decretada”, disse a Promotoria.

Os desembargadores, porém, não acataram o pedido. “A toda a evidência, o simples fato de o preso se encontrar na iminência de receber alta médica e do isolamento por se recuperar da covid-19 – consoante consignado pelo órgão de acusação –, não se revela recomendável que ele retorne, imediatamente, ao estabelecimento prisional onde se encontrava encarcerado, nomeadamente neste período de pandemia que assola o país”, disse o relator, desembargador Orlando Perri.

“Não obstante a gravidade dos fatos delituosos imputados ao requerido, até o momento não ficou demonstrado nenhum risco de dano irreparável ou de difícil reparação, se mantida a decisão hostilizada, podendo esta, ao final, ser reformada por este tribunal. Em outras palavras: não há notícia nos autos de que o recorrido, em liberdade, tenha cometido novos delitos, colocando em risco a ordem pública, ou demonstrado, concretamente, qualquer ato tendente a prejudicar a instrução criminal ou que pretende se furtar à aplicação da lei penal”, completou o relator, que foi seguido por unanimidade pelos demais desembargadores.

Conforme Só Notícias já informou, o acusado deverá ir a júri popular. A decisão é do juiz Roger Augusto Bim Donega, que apontou indícios de materialidade e autoria do crime, e, desta forma, entendeu que o réu deve ser submetido a julgamento por homicídio qualificado, supostamente cometido mediante emboscada e por meio de recurso que dificultou a defesa da vítima, além de ocultação de cadáver e posse irregular de arma de fogo. Posteriormente, o Tribunal de Justiça retirou a qualificadora da emboscada e, ainda, afastarou a conexão do crime de posse irregular de arma de fogo com o assassinato.

O corpo de Mayer foi encontrado após o suspeito ser preso e confessar o crime. O Fiat Siena vermelho da vítima também foi encontrado às margens da rodovia com um dos vidros quebrado. João Mayer foi sepultado em Alta Floresta.

Leia mais: Alta Floresta: Comerciante encontrado morto após sair de casa para cobrar dívida

 

Banner whats nativa news

Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo