Destaques

14/11/2017 08:00 Eliza Gund/ Nativa News

Aumenta o número de pessoas em situação de rua preocupa autoridade em Alta Floresta

Acompanhados por agentes da Polícia Judiciária Civil, assistentes sociais do município de Alta Floresta e também da Fundação Servir, iniciaram na tarde de ontem (13) um levantamento sobre os moradores de rua no município. Com dois pontos de concentração a situação têm se tornando alarmante nos últimos meses.

O Terminal Rodoviário e a Praça da Cultura se tornaram os maiores locais de concentração destes andarilhos, na grande maioria alcoólatras. “A gente está fazendo um estudo com a colaboração e ajuda da polícia civil, através do Dr. Rodrigo e do Dr. Carlos, para gente saber o que é que está acontecendo. Se são pessoas que vieram de usina, terminaram o serviço e estão aí no município, se são pessoas que vem de outra localidade, o que é que a gente tem que fazer para tirar eles do município de Alta Floresta, aumentou muito”, apontou o diretor de gestão, Claudinei de Jesus.

A sensação de insegurança aumentada e reclamada, no Terminal Rodoviário, além do fluxo de pessoas que saem e chegam ao município, também os trabalhadores do Terminal. Até mesmo os taxistas sofrem o assédio destes homens, que buscam abordar os passageiros no momento em que se deslocam aos táxis. Já na Praça da Cultura, um ponto turístico do município, a problemática se aplica ainda às crianças que participam dos cursos ofertados no centro cultural, e ficam expostas com a situação.

Os primeiros levantamentos apontaram que 90% dos homens encontrados no Terminal Rodoviário são de outros municípios e estados, uma parcela em busca de emprego, outra parcela não sabe explicar o que faz em Alta Floresta. “Tudo aponta que os municípios da região estão despejando estas pessoas aqui em Alta Floresta, é isso que eles falam, não dá pra gente confirmar o que todos falam porque a maioria está embriagado, mas na declaração deles é isso que estão dizendo”, destacou Jesus.

Os levantamentos iniciais ainda apontam que outra parcela destes homens entrevistados já teve passagem pelo Lar Santa Izabel. “Então a gente está se deparando aqui com uma situação caótica, complicada, que agora vamos nos sentar junto com a secretaria de assistência social, junto com a polícia civil pra saber qual será o rumo dessa operação, não é quilo que a gente pensava, teve pessoa aqui pra dizer que posso colocar dentro de um ônibus e mandar embora que ele vai voltar de novo, então isso é uma situação preocupante aqui em Alta Floresta”, concluiu o Diretor de Gestão.

Uma reunião deverá acontecer nos próximos dias para definições sobre a situação, atualmente o número de andarilhos e moradores de rua em Alta Floresta é de pouco mais de 40 homens.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados a Gund e Caldas LTDA ME - Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo