Cidade

15/09/2020 09:03 Diario de Cuiabá

Maior rebanho do País registra acréscimo de mais de 654 mil cabeças em 2020

Em um ano, houve uma expansão anual de 2,13%, segundo o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea/MT)

O rebanho mato-grossense de bovinos, o maior do País, cresceu em relação ao plantel contabilizado no ano passado. O Estado chega a 2020 com mais de 30,98 milhões de cabeças.

Dados do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea/MT) e do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), mostram que em um ano foram adicionadas 645,38 mil cabeças, o que permitiu uma expansão anual de 2,13%.

Quando se divide por categoria, observa-se que o rebanho de vacas apresentou aumento superior ao de machos: no período a quantidade de fêmeas subiu 2,63%, enquanto de machos, 1,23%, totalizando 19,98 e 11,01 milhões de cabeças, respectivamente.

“Vale ressaltar que o plantel de vacas acima de 36 meses cresceu 6,18%, voltando aos patamares de 2016, quando houve retenção de fêmeas após os preços históricos do bezerro no ano anterior. Fica evidente que o movimento das vacas tem refletido no saldo do rebanho total mato-grossense”.

As regiões que mais incrementaram seu rebanho foram a nordeste e a médio-norte, também com destaque para as fêmeas (+5,49% e 6,27%, na mesma ordem).

O mercado do boi e da vaca gorda registrou altas significativas: a arroba do macho teve variação semanal de 2,46%, ficando cotada na média de R$ 211,87, enquanto a da fêmea teve aumento de 2,64% no período, fechando na média de R$ 201,48.

“A dificuldade de compra de animais ainda é uma realidade no Estado, demonstrada pela nova queda da escala de abate, que ficou próxima dos patamares de 6 dias na semana passada”.

ABATES - Em agosto, dados do Indea demonstraram que Mato Grosso originou 491,05 mil cabeças de bovinos para abate, baixa de 3,20% ante a julho de 2020.

Em relação a agosto do ano passado, a queda registrada foi maior, de 8,02%. Mesmo com essa menor quantidade, o volume de machos abatidos apresentou alta mensal de 6,10%, com destaque para a categoria de 12-24 meses, característica de confinamento.

Assim, o que puxou esta baixa foi o recuo expressivo do abate de fêmeas, em torno de 17,71% ante o mês anterior.

“Observa-se, ainda, que a maior queda foi nas vacas entre 24-36 meses, enquanto o abate das jovens (4-12 meses) seguiu crescente: no comparativo mensal o volume subiu 5,83%.

Além disso, no acumulado de jan-ago, o abate de novilhas já soma 311,86 mil cabeças, valor 6,78% superior ao do mesmo período de 2019. Assim, vale a atenção para o reflexo disso nos próximos anos, uma vez que a menor disponibilidade de vacas jovens também pode limitar a oferta futura de bezerros”, pontuam os analistas do Imea.


Banner whats nativa news

Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo