Cidade

05/05/2019 13:08 Jornal Mato Grosso do Norte

Setor de base floresta luta para derrubar cobrança indevida de ICMS da tora

O setor de base florestal continua lutando junto ao governo estadual para derrubar a cobrança indevida do Estado de Mato Grosso, do ICMS sobre a tora, que sai do manejo florestal para a indústria, Na quinta-feira, 25/04, representantes do setor madeireiro tiveram mais uma reunião com o governador Mauro Mendes e sua equipe econômica.


Conforme o vice-presidente do Sindicato dos Madeireiros do Extremo Norte de Mato Grosso, Frank Rogieri de Almeida, a cobrança é indevida, porque 90% das empresas madeireiras do Estado estão enquadradas no Simples Nacional e não geram crédito. “Se pagarmos do manejo para a indústria, quando a empresa vender a madeira, vai ter que pagar novamente e não aproveita o crédito que pagou na primeira operação, gerando um pagamento duplo. Pagamos duas vezes o imposto do mesmo produto”, explica Frank. 


No entendimento do Tribunal de Contas, para resolver a questão tem que ter aprovação do CONFAZ- Conselho Nacional de Política Fazendária que é um órgão que tem representantes de todos os Estados da Federação. Segundo Frank, o governador Mauro Mendes já apresentou o projeto no CONFAZ, e vai ter uma reunião extraordinária para tratar do assunto no dia 16 de maio. “Temos muita esperança que será resolvida esta situação. Se ela não for resolvida irá tirar a competitividade do setor florestal de Mato Grosso e a maioria das empresas vai ter que fechar as portas.

 

“A carga tributária de Mato Grosso é a mais alta do país e se tivermos que pagar duas vezes, não temos condições de tocar as empresas no Estado. As empresas que tiverem mais condições vão mudar de Estado, para o Pará, por exemplo. E quem não tiver vai ter que sair do ramo. E essa é nossa maior demanda junto ao Estado de Mato Grosso. O setor de base florestal vem sofrendo há anos com uma taxação muito alta. A tributação da energia elétrica, comparando Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, aqui é 45% maior”, acentua.


De acordo com o empresário, Mato Grosso é o único Estado da Federação que paga uma taxa de emissão de Guia Florestal. “Pagamos para faturar. São R$ 35,00 por Guia. Estamos criando uma agenda com o governo para equalizar o nosso negócio e sermos competitivo. Senão, em breve não conseguiremos vender mais”, enfatiza.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo