Cidade

11/04/2019 06:43 Poder 360

Ministra chora em comissão da Câmara após deputada petista falar sobre >pé de goiabeira>

A ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) chorou nesta 4ª feira (10.abr.2019) na CDHM (Comissão de Direitos Humanos e Minorias) da Câmara dos Deputados após a deputada Érika Kokay (PT-DF) citar o caso em que a ministra afirmou que viu Jesus “subir em pé de goiaba”.

O caso se trata de um depoimento de Damares em um congresso evangélico no qual ela, que sofreu abusos sexuais na infância, disse que aos 10 anos ia se suicidar em 1 pé de goiaba, mas desistiu ao ver Jesus.

Damares foi convidada a prestar esclarecimentos nesta 4ª feira (10.abr.2019) à Comissão de Direitos Humanos sobre o funcionamento de 12 conselhos, comitês e comissão ligados ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Ao falar na comissão, em crítica à atuação do ministério, Kokay questionou Damares sobre o funcionamento do Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), instância máxima de formulação, deliberação e controle das políticas públicas para a infância e a adolescência na esfera federal.

“Como é possível, ministra, que nós não tenhamos em pleno funcionamento um órgão como o Conanda? Porque nem todas as meninas vítimas de violência podem ser salvas por um Jesus na goiabeira, nós precisamos de políticas públicas”, disse.

Após a declaracão de Érika Kokay, diversos deputados reconheceram a ministra como uma “guerreira” por ter superado a violência na infância.

Ao fim do debate, Damares respondeu a deputada e disse que o conselho está em funcionamento, mas “atrasou em questão dias” as reuniões do grupo de trabalho. A ministra também disse que não esperava a ironia da deputada.

“Eu não posso me omitir, eu não posso me silenciar, Jesus realmente apareceu no pé de goiaba pra mim. E a forma como a senhora falou em um primeiro momento machucou muito essa ministra. Eu senti que a senhora falou de uma forma irônica, a senhora zombou, mas a senhora não zombou somente de uma menina, zombou de milhares de meninas do Brasil. Quem passou pelo calvário que eu passei sabe o que é sentar no colo de um abusador. E eu esperava, deputada, de todo mundo, menos da senhora que é uma psicóloga”, afirmou.

Em resposta, a deputada disse que ao citar o caso quis demonstrar seu posicionamento contra a assistência religiosa como único apoio a quem sofre violência sexual.

“Eu me solidarizo com a sua dor e com a de milhares de crianças, mas digo que, [além da]assistência religiosa –ainda que seja fundamental, pois eu não duvido que a senhora tenha encontrado a sua salvação–, é preciso ter um plano de enfrentamento à violência sexual que atinge as crianças, 1 plano que contemple todas as políticas públicas”, disse Érika Kokay.

Assista abaixo ao momento em que Damares chora. No momento, o deputado Julian Lemos (PSL-PB) fala sobre o comentário de Érika Kokay:

ESCLARECIMENTOS SOBRE OS CONSELHOS

O pedido dos esclarecimentos foi feito pela procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat. O debate foi solicitado pelos deputados Patrus Ananias (PT-MG) e Nilto Tatto (PT-SP).

Em 3 de março, uma reportagem do jornal Estado de São Paulo apontou uma possível paralisação e esvaziamento dos conselhos e comissões ligados ao governo federal.

Segundo o jornal, a pasta que está sob o comando de Damares concentra o maior número de órgãos paralisados e esvaziados. Além disso, houve extinção de conselhos e alteração nas regras de representatividade de instâncias ligadas aos ministérios da Cidadania e Agricultura.

Na comissão, a ministra negou que os conselhos estejam sem funcionar.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo