Cidade

08/03/2018 17:10

Onze deputados devem trocar de partido em MT

A partir desta semana, os parlamentares começam as trocas de partido sem o risco de perderem o mandato. A chama “janela partidária” se inicia nesta quinta-feira (08) e se estende até sete de abril. Os deputados estaduais de Mato Grosso aguardam essa “brecha” para migrarem de partido e disputarem a reeleição em outubro deste ano. 

Dos 24 parlamentares na Assembleia Legislativa, ao menos 11 devem trocar de legenda. A medida irá atingir, principalmente, as duas maiores bancadas do Parlamento Estadual, sendo elas do PSB e PSD. 

O Partido Socialista Brasileiro (PSB) irá perder todos os seus parlamentares. Isto porque, Eduardo Botelho (PSB), Mauro Savi (PSB), Oscar Bezerra (PSB), Max Russi (PSB) e Adriano Silva (PSB) já estão de malas arrumadas para outro partido desde meados do ano passado. 

A debandada socialista se deve ao fato de a Executiva Nacional ter aceitado o deputado federal Valtenir Pereira de volta ao partido, e ter o colocado como presidente do Diretório Regional após a destituição do deputado federal Fábio Garcia da presidência. 

A maioria dos deputados da legenda irão migrar para o Partido Democratas (DEM), seguindo assim os passos do ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes, que deve se filiar a sigla ainda este mês e tem grandes chances de disputar a eleição majoritária no Estado. 

O único que não deve acompanhar o grupo é o atual secretário-chefe da Casa Civil, deputado estadual Max Russi. Ele anunciou que se filiará ao PRB, assim como o deputado federal Adilton Sachetti. 

Já o Partido Social Democrático (PSD) deve ficar apenas com o deputado estadual José Domingos Fraga, tendo em vista que os demais já estão em negociação para trocarem de partido neste período. 

O deputado estadual Gilmar Fabris (PSD) está em conversa com o DEM, enquanto Drº Leonardo, Nininho, Pedro Satelite e Wagner Ramos devem buscar abrigo no PSDB, uma vez que pretendem apoiar a reeleição do governador Pedro Taques (PSDB). 

Diante do atual cenário político do Estado e da vontade do vice-governador Carlos Fávaro (PSD) em disputar a eleição para senador neste ano, pode ser que o PSD não esteja no mesmo palanque de Taques este ano, o que levou os parlamentares a analisarem a possibilidade de trocar de legenda. 

Os quatro deputados estão tendenciosos a migram para o PSDB para disputarem a reeleição formando uma chapa pura, tendo assim, maiores chances de eleger um número maior de parlamentares. 

Outra legenda que irá perder um de seus integrantes é o Partido dos Trabalhadores (PT). O deputado estadual Allan Kardec já definiu a sua ida para o Partido Democrático Trabalhista (PDT), que também deve lançar chapa pura na eleição proporcional. 

A janela partidária é o período de 30 dias em que deputados são livres para trocar de legenda sem o risco de punição. Ela está garantida por força do artigo 22-A, III da Lei 9.096/1995 (Lei dos Partidos].


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados a Gund e Caldas LTDA ME - Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo